Adoradores da Eucaristia    Adorar é conhecer a grandeza de Deus e o seu poder. Irmã Ercília

< sobre o movimento

Estatudo do Movimento dos Adoradores da Eucaristia

Capítulo I - Da Denominação, Sede, Finalidade, Foro e Prazo de Duração

Artigo I. O Movimento dos Adoradores da Eucaristia nasceu de um profundo desejo de propagar e divulgar a grandeza da PESSOA EUCARÍSTICA DE JESUS. É de caráter formativo, contemplativo e de arrimo de oração à Santa Igreja e inspirado na Palavra de Deus. "Mas vem a hora e é agora em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja." (Jo 4, 23-24)

Artigo II. O Movimento dos Adoradores da Eucaristia é um grupo religioso, sem fins lucrativos, com sede em Londrina-PR que se regerá pelo presente estatuto, pelas normas do Direito Canônico e as leis civis.

Parágrafo único - No presente Estatuto Social, o Movimento dos Adoradores da Eucaristia estará simplesmente denominado por Movimento.

Artigo III. O Movimento tem por finalidade viver a espiritualidade eucarística, adoras Jesus na Santa Eucaristia, meditar textos a ela referentes, orar pelas necessidades da Igreja, testemunhar os compromissos assumidos na Consagração e responder concretamente no auxílio do Movimento, e outros apostolados de cunho social.

Artigo IV. Dentro de suas possibilidades e na medida em que as circunstâncias o permitirem, o Movimento poderá criar a desenvolver qualquer obra ou atividade que se enquadrar em suas finalidades religiosas específicas.

Artigo V. A duração do Movimento é por tempo indeterminado e sua extinção só poderá ser deliberada por Assembléia Geral, convocada para o fim específico, de acordo com a legislação vigente.

Artigo VI. Fica eleito o Fórum da Comarca de Londrina-PR e o Tribunal Arquidiocesano de Londrina para dirimir eventuais dúvidas ou litígios sobre quaisquer assuntos relacionados ao Movimento.

Capítulo II - Da Estrutura

Artigo VII. Fazem parte da estrutura do Movimento os seguintes órgãos:

Artigo VIII. À Fundadora e à Coordenação Arquidiocesana competem:

  1. Nomear todos os membros de cada órgão, levando em conta
    • Espiritualidade;
    • Disponibilidade;
    • Discernimento;
    • Maturidade no Movimento;
    • Ser consagrado e compromissado profundamente com a Igreja e com o Movimento;
    • Conhecimento da Doutrina da Igreja Católica.

Artigo IX. À Fundadora compete:

  1. Redigir as Vigílias Eucarísticas que são instrumentos privilegiados para a vida do Movimento;
  2. Participar de reuniões que visem a comunhão e a unidade com todos os Grupos Pastorais;
  3. Convocar e presidir reuniões ou delegar essa atribuição a qualquer membro dessa Coordenação Arquidiocesana;
  4. Escolher um novo membro, em caso de desistência ou afastamento conforme os pré-requisitos referenciados no Arquivo VIII, I;

Artigo X. A Coordenação Arquidiocesana será formada pelo:

Parágrafo 1º - O mandato dos membros da Coordenação será de dois anos podendo ser reconduzidos aos cargos por mais dois anos se assim o desejarem.

Parágrafo 2º - Todos os membros serão empossados na primeira reunião do ano.

Artigo XI. A Coordenação Arquidiocesana tem por finalidade coordenar, sob orientação de sua Fundadora e Assessor Espiritual, todas as atividades, em todos os grupos, submetendo-se inteiramente à orientação e à aprovação do Arcebispo, inserindo o Movimento no Plano de Ação Evangelizadora e Pastoral da Arquidiocese de Londrina.

Artivo XII. É de responsabilidade da Coordenação Arquidiocesana:

  1. Representar o movimento nos eventos da Arquidiocese;
  2. Favorecer o verdadeiro espírito, identidade e missão do Movimento em unidade com a Pastoral Arquidiocesana;
  3. Incentivar sempre a maior participação na vida da Igreja;
  4. Estudar, acolher e divulgar novas iniciativas segundo o Carisma do Movimento;
  5. Planejar, coordenar, decidir e avaliar todas as atividades do Movimento e inseri-las na Pastoral Orgânica da Arquidiocese e das Paróquias;
  6. Promover a formação humana, espiritual, doutrinal e moral dos membros do Movimento;
  7. Zelar pela doutrina da Igreja Católica;
  8. Encorajar o Movimento a buscar a comunhão e a unidade com todos os Grupos Pastorais nos vários níveis de ação pastoral;
  9. Direcionar e decidir assuntos de ordem geral e de interesse do Movimento.

Parágrafo 1º - A Coordenação Arquidiocesana reunir-se-á ORDINARIAMENTE uma vez por semestre e EXTRORDINARIAMENTE quando convocada pela Fundadora ou por qualquer um dos seus membros em situações relevantes.

Parágrafo 2º - As reuniões e/ou assuntos tratados e submetidos À decisão da Coordenação Arquidiocesana considerar-se-ão aprovados pelo consenso dos presentes, com registro em ata de reunião.

Artigo XIII. Compete à Coordenação Arquidiocesana discernir, aprofundar, propagar e divulgar a espiritualidade e o carisma do Movimento; zelar para que os grupos se vivam as normas do Movimento.

Artivo XIV. Compete ao Presidente:

  1. Montar, divulgar, respeitar e cumprir o calendário programado;
  2. Ser o elo de ligação e unidade entre a Fundadora, a Coordenação Arquidiocesana e os grupos locais;
  3. Contatar párocos para abertura de grupos de adoração apresentando manuais e/ou materiais que identifiquem o Movimento;
  4. Participar das reuniões locais para divulgar o Movimento e combinar o dia da semana e o horário dos momentos de adoração escolhidos pelos paroquianos;
  5. Acompanhar os encontros iniciais e visitar periodicamente todos os grupos.
  6. Participar das reuniões mensais e de todas as atividades previstas no calendário, bem como de outras atividades convocadas por outras pastorais e/ou autoridades eclesiais;
  7. Convocar e presidir reuniões e/ou encontros quando necessários;
  8. Manter contato frequente com a Fundadora do Movimento e Coordenadores locais visando a unidade e fidelidade ao carisma e instruções próprias do Movimento.

Artigo XV. Ao Vice-presidente caberá participar de eventos e substituir o Presidente em suas faltas e impedimentos.

Artivo XVI. Compete ao secretário:

  1. Secretarias as reuniões e redigir as atas correspondentes;
  2. Manter em dia o fichário do Movimento, atualizando as fichas cadastrais na Arquidiocese;
  3. Organizar crachás, fichas e outros materiais necessários para a Consagração e outros eventos e impressão de experientes necessários;
  4. Cuidas da correspondência e manter disponível o fichário de correspondência recebida e expedida;
  5. Organizar e manter o Arquivo Geral;
  6. Atualizar as informações para os meios de comunicação falada e escrita, visando a divulgação do Movimento e de todas as suas atividades (Rádio, jornal, internet, pastoral de comunicação).

Artigo XVII. Compete ao Vice-secretário substituir o Secretário e auxiliá-lo em todas as suas atividades.

Parágrafo único - No que se refere à TESOURARIA estabelecer-se-á a contribuição mensal de 1/20 (um vinte avos) do salário mínimo vigente a cada grupo.

Artigo XVIII. Compete ao Tesoureiro:

  1. Arrecadar, contabilizar, depositar em conta bancária a contribuição dos grupos, rendas, donativos, efetuar pagamentos, mantendo em dia a escriturário e devidamente comprovada;
  2. Abrir e movimentar conta bancária em conjunto com o Vice-tesoureiro, ou com outro membro da Coordenação Arquidiocesana;
  3. Apresentar nas reuniões mensais o relatório financeiro;
  4. Conservar sob sua guarda e responsabilidade os documentos relativos à Tesouraria.

Artigo XIV. Compete ao Vice-tesoureiro auxiliar o Tesoureiro e substitui-lo em suas faltas e impedimentos.

Artigo XX. O Movimento não remunera, por qualquer forma, os cargos do mesmo; não distribui lucros, bonificações ou vantagens a dirigentes, mantenedores ou sócios, sob nenhuma forma ou pretexto.

Artigo XXI. O Assessor Espiritual será escolhido pelo Arcebispo e Fundadora do Movimento e/ou Coordenação Arquidiocesana.

Artigo XXIII. A função do Assessor Espiritual é assessorar e acompanhar o Movimento, aconselhando-o, instruindo-o, zelando para que a Palavra de Deus e a doutrina do Magistério da Igreja sejam observadas nos ensinos, encontros, reuniões, garantindo assim a sua catolicidade.

Artigo XXIII. O Assessor Espiritual deverá participar das reuniões mensais, aprofundando temas que favoreçam o crescimento espiritual dos presentes.

Artigo XXIV. Compete ao Coordenador Local:

  1. Acolher os presentes;
  2. Discernir, conduzir, executar, acompanhar as atividades do grupo, momentos dos encontros, em sintonia com as orientações recebidas, observando rigidamente os momentos de silêncio;
  3. Participar ativamente de todas as reuniões e atividades previstas no calendário;
  4. Incentivar, organizar e acompanhar os momentos de adoração no Centro de Pastoral nos dias e horários preestabelecidos;
  5. Responsabilizar-se pela aplicação do calendário e inserir suas atividades no Plano de Ação Evangelizadora e Pastoral da Arquidiocese e Paroquial;
  6. Participar do C.P.P. e de outras reuniões e encontros locais (em suas paróquias);
  7. Organizar escalas semanais, onde necessário, providenciar xerox e material para os dirigentes com antecedência;
  8. Conhecer, assistir e promover o crescimento espiritual do grupo;
  9. Manter diálogo constante com as pessoas do Movimento à nível arquidiocesana, bem como com outras coordenações locais, pastorais e movimentos, sacerdotes, a fim de facilitar e promover uma boa e eficaz inserção do Movimento na Pastoral Local e Arquidiocesana.

Artigo XXV. GRUPO LOCAL é uma reunião de pessoas que, semanalmente, num horário preestabelecido, participam de um encontro pessoal e comunitário com Jesus Eucarístico, através de momentos de contemplação, orações silenciosas por quinze minutos, aprofundamento das Vigílias Eucarísticas, vinte e cinco minutos, proclamação e reflexão da Palavra por dez minutos, oração pela Igreja, preces e encerramento, dez minutos.

Artigo XXVI. Os fiéis que perseverem por um ano poderão ser consagrados ADORADORES DA EUCARISTIA, assumindo o compromisso de dedicar sua vida mais intensamente em favor da Santa Eucaristia e assumindo neste dia, da primeira quinzena do mês de Novembro, anualmente, esses outros compromissos:

  1. Amar a Santa Eucaristia acima de tudo;
  2. Fidelidade ao casamento na ajuda mútua;
  3. Participar de uma Santa Missa e Movimento de Adoração diante do Sacrário uma vez por semana;
  4. Entregar a própria vida ao Coração Eucarístico do Senhor para o crescimento e honra da Igreja;
  5. Ser arrimo de oração para o Arcebispo, ajudando-o em sua missão pastoral; rezar pelo Papa; pela Santificação dos Sacerdotes; pelos seminaristas e seus formadores; pelas vocações sacerdotais, religiosas, missionárias e leigas, pedindo sempre a Intercessão da Virgem Maria.

Artigo XXVII. Essa  honra destina-se a preparar para o exercício da caridade eucarística, não sendo permitido partilhar de experiências pessoais, pois é Jesus Eucarístico o centro desse momento; esta é uma oportunidade para conhecê-Lo e de aprofundar o relacionamento com Ele.

Artigo XVIII. A EQUIPE ARQUIDIOCESANA DE SERVIÇOS é composta por dois membros escolhidos pela Fundadora e Coordenação Arquidiocesana.

Artigo XXIX. Compete à Equipe Arquidiocesana de Seriços:

  1. Comunicar-se com a Tesouraria sobre a organização dos eventos, previsão de custos;
  2. Acompanhar todas as atividades do Movimento principalmente às que se referem a Retiros, Desertos, Consagrações, Confraternizações e Promoções;
  3. Orientar e distribuir tarefas a serem realizadas por cada membro do Movimento, visando o êxito de todas as suas atividades;
  4. Prestar contas à Tesouraria após o término das atividades.

Artigo XXX. Todos os bens móveis e imóveis que porventura, forem adquiridos serão em nome do Movimento, administrados pela Fundadora e Coordenação Arquidiocesana.

Artigo XXXI. Na ausência da fundadora, a Coordenação Arquidiocesana e Assessor Espiritual se encarregarão de continuar zelando para que o Movimento cumpra seus objetivos.

Artigo XXXII. O presente estatuto poderá ser reformulado, no todo ou em parte, em qualquer tempo por decisão da maioria dos membros, em Assembléia Geral, especialmente convocada para esse fim, e entrará em vigor na data de seu registro em Cartório.

Artigo XXXIII. Os casos omissos no presente Estatuto serão resolvidos pela Fundadora, Coordenação Arquidiocessana e referendados pela Assimbleia Geral.

 

Londrina, novembro de 2003.

Desenvolvido e Hospedado por Cedilha Comunicação Digital2009-2014 © Adoradores da Eucaristia. Todos os direitos reservados.